Postagem em destaque

Muito Além... de Um Conto [Neblina da Noite - Luís Fernando Pinheiro]

O que parecia ser uma simples noite de trabalho, torna-se um pesadelo para um maquinista, que após partir com destino a última estação, e...

Translate

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Muito Além... da Irreverência de Marilyn Manson - The Pale Emperor

Hoje o tema será um estilo de música mais alternativa. Prontos para conhecer um pouco do universo particular de Marilyn Manson? E quais foram suas intenções ao publicar este novo álbum - The Pale Emperor?







The Pale Emperor é o nono álbum de estúdio da banda de rock americana Marilyn Manson, considerado por Manson seu melhor trabalho desde Holy Wood (2000).

O disco foi bem recebido pela crítica e estreou na oitava posição dos mais vendidos nos Estados Unidos com mais de 50 mil cópias vendidas na primeira semana de lançamento.

Lançado em 20 de Janeiro deste ano ,o álbum possui 10 faixas inéditas, sendo que na edição de luxo existem mais 3 faixas em versão acústica.

Uma curiosidade sobre este álbum: 

"The Pale Emperor”, foi lançado nos mesmos discos usados para gravar os jogos disponibilizados para o primeiro PlayStation. Ao recorrer a esse modelo de disco (de policarbonato preto), o músico disponibilizou no mercado um produto mais resistente, durável e que conta com um mecanismo que dificulta a gravação de uma cópia ilegal. 

Entretanto, parece que nada disso interessava ao músico, já que ele estava de olho no lado estético da coisa. Segundo o Kill Screen, uma textura térmica foi adicionada ao disco. Por conta disso, o CD passa de um tom preto para branco por conta do aquecimento após ter suas faixas reproduzidas, voltando à cor original ao esfriar – o que certamente faz uma alusão ao nome do álbum, “The Pale Emperor”. 

Vamos aos dados do CD:

                                                No.       Faixa  
1.      "Killing Strangers"
2.      "Deep Six"
3.      "Third Day of a Seven Day Binge"
4.      "The Mephistopheles of Los Angeles"
5.      "Warship My Wreck"
6.      "Slave Only Dreams to Be King"
7.      "The Devil Beneath My Feet"
8.      "Birds of Hell Awaiting"
9.      "Cupid Carries a Gun"
10.    "Odds of Even"


Versão Deluxe

11.     "Day 3" (Versão Acústica de "Third Day of a Seven Day Binge")
12.     "Fated, Faithful, Fatal" (Versão Acústica de "The Mephistopheles of Los Angeles")
13.     "Fall of the House of Death" (Versão Acústica de "Odds of Even")

Marilyn Manson - vocais / produção
Twiggy Ramirez - baixo / guitarra
Tyler Bates - guitarra / teclados
Gil Sharone - bateria / percussão
Shooter Jennings - guitarra

Destaques do The Pale Emperor

 "Killing Strangers"

Com batidas fortes e bem marcadas, esta música figura em uma cena do filme John Wick (lançado no Brasil como "De Volta Ao Jogo). Curto esta música pela energia que cada batida traz. 

Veja o trecho do filme onde "Killing Strangers" é utilizada como trilha sonoroa.




"Deep Six"

Primeira faixa a ganhar videoclip( veja abaixo), está música não deixa nenhuma dúvida de que ele ainda possui um pouco do Metal Industrial em seus albuns.



"Third Day of a Seven Day Binge"

Sem sombra de dúvida, minha música preferida deste álbum. Não sei como descreve-la, então ouçam vocês e me digam depois...
Atenção, este vídeo não é um clipe oficial, beleza?




"The Devil Beneath My Feet"

Ao ouvir esta faixa, não me pergunte porque, mas me sinto em um baile dos anos 1960, mas com um pouco do grunge dos anos 1990. Tudo porque essa faixa me passa uma energia/vibe contagiante.




"Cupid Carries a Gun"

Confesso que esperava um pouco mais desta música. No contexto geral, não é uma música ruim, longe disto. Mas digo a vocês que pelo começo forte, de ritmo envolvente e refrão que fica na cabeça, quando a ouvi inteira pela primeira vez me decepcionei só um pouquinho.

Esta música faz parte da trilha sonora de ritmo Salem, série da, que trata sobre o misticismo envolta da bruxaria influenciando o ritmo político/social de um pequeno vilarejo dos EUA. Mas isto é tema para um outro dia!


Enfim...

O que mais me agradou neste álbum foi sua coesão, ouvindo as músicas em sequencia, elas meio que se conectam. Confesso que dificilmente ouço só uma ou outra, diferente de outros álbuns dele.

Se você gostou, de um curtir e compartilhe com seus amigos.

Fontes: http://www.tecmundo.com.br/musica/79152-novo-album-marilyn-manson-lancado-discos-psone.htm?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_campaign=thumb


Nenhum comentário:

Postar um comentário